Num noite como tantas outras ajeito-me mais uma vez no sofá em frente ao televisor, apenas dão trivialidades banais rejeito estar ali sentado a ver aquilo desligo-a e coloco antes um CD de música, nesse mesmo instante ouço alguém a tocar á minha porta. Ao abrir fico atónito :
– Tu! – Foi tudo o que disse…
– Posso entrar? – Disse ela com o olhar mais doce que alguma vez vira.
Depois de alguns segundos e ainda atónito, olhei de novo para ti estavas linda, o teu cabelo longo e solto muito bem penteado, o teu vestido com algumas flores a lembrar a primavera, o teu sorriso que ilumina qualquer escuridão. Após esta contemplação voltei a mim e como um cavalheiro pedi desculpa pela demora e pedi que entrasses.
Não fazia ideia porque razão ali estavas e de repente mil perguntas invadem o meu pensamento.
– Passa-se alguma coisa? – Disse ainda com muitas questões a rodar dentro de mim.
Olhas-te para mim com esse teu ar doce, os teus olhos como dois oceanos em tons de  safira onde facilmente nos deixamos levar até ao seu fundo…Retomo de novo a concentração.
– Tive saudades tuas…
E ainda estava eu a assimilar o que me tinhas acabado de dizer….Beijas-me…Eu deixo-me levar não penso em nada só em nós dois,  um beijo,  outro beijo de repente dou por mim a lentamente desviar a alça do vestido do teu ombro, ele cai, retiras-me a camisola, e mais uma peça , e outra, e mais outra como se fosse um jogo,  contemplamo-nos um ao outro trocamos carícias, vejo o teu corpo nu com as suas curvas perfeitas, os meus olhos perdem-se na imensidão da beleza que ele imana.
Amamo-nos como se já conhecêssemos o corpo um do outro na perfeição, trocamos carinhos, suores de amor, pequenos gemidos sem contenção e elevamo-nos os dois ao êxtase de prazer. Percorro o teu corpo e sinto o palpitar do teu coração a cada gesto, a cada toque dos meus lábios no teu corpo, com as tuas mãos vagueias pelo meu sempre como se de uma leve pluma se tivessem transformado.
Deitas-te a meu lado feliz com um olhar que dispensa qualquer palavra, apenas um brilho que me mostra que estamos felizes naquele momento. Fecho os olhos fico a rever todas as imagens gravadas dos últimos minutos na minha memória…enquanto isso levantas-te sem nada dizeres agarras no vestido, eu tento dizer algo…..a porta da rua fecha-se com estrondo……..Acordo estremunhado procuro á minha volta pela bela mulher ainda sem saber o que acontecera olha para o lado…..Vazio, a musica toca……Paro….Penso….Foi um sonho, apenas um sonho…..